23 de dezembro de 2005

Porquê Skype?

Anda muito complicado gerenciar a multitude de clientes de instant messaging.

No trabalho, usando Linux, eu acabo usando o Gaim - um cliente multi-plataforma que me conecta as redes do ICQ, AIM, MSN Messenger (que os brasileiros adoram).

Em casa, usando Macs, eu acabo usando o Adium - um outro cliente multi-plataforma que me conecta a multiplas redes também.

O problema de ambos é que não há comunicação por voz. Só chat texto.

Então, escolher uma rede única faz sentido. O problema é que rede única tem clientes para Linux e Macs, e desses quais tem o suporte a voz...

O Skype - que tem a melhor interface Mac de todos os clientes de IM que eu já vi - roda nos três sistemas operacionais, suporta voz entre eles, e quem sabe - em breve vídeo entre Macs, Windows e Linux!

É fácil de usar, a qualidade do som é excelente, e a versão 2.0 - atualmente em beta e infelizmente só para Windows - terá vídeo também!

É um alívio ver uma empresa que percebe que multiplataforma é uma realidade e uma necessidade.

8 de dezembro de 2005

Como mencionado - a cara de surpresa


Surpresa total... / Total surprise...
Originally uploaded by celopes.

Meu irmão ao dar de cara com a gente na casa dos meus pais na nossa recente visita surpresa ao Brasil!

7 de dezembro de 2005

THE HANSO FOUNDATION

Atenção especial para o memorando da Organização Mundial de Saúde que pode ser acessado clicando na foto do Alvar Hanso.

Essa série é muito foda...

5 de dezembro de 2005

Faltou falar...

Greves, greves, greves...

Chegamos no Rio e sequer abriram nossos passaportes. Só viram que a capa do primeiro - no topo - era verde e que eu falava português. Se a foto no passaporte era minha ou de outra pessoa, nem se cogitou. Entramos. Enquanto isso turistas americanos eram assodados numa lenta e longa fila (eles não merecem, tanto quanto nós não merecemos este tratamento quando visitamos os EUA; mas é o preceito da reciprocidade burra internacional).

Acompanhados do nosso cachorro (não me perguntem, por favor - a decisão não foi minha!) somos informados que o Ministério da Agricultura está em greve!!!

A funcionária, educada porém jactante, fez questão de ilustrar que toneladas de carne e grãos apodrecem nos portos graças a greve. Que o Governo vai ter de se dobrar a vontade dos funcionários ou "o país para!".

Finda esta greve (não sei se porque o país parou) e obtida a autorização de embarque para o cão voltar conosco; na saída do país damos com uma operação tartaruga da Polícia Federal que exige "valorização" em cartazes coloridos que devem ter custado uma fortuna. Resultado: mesmo chegando ao aeroporto mais de duas horas antes do nosso horário de embarque, só conseguimos chegar ao portão de embarque 2 minutos antes do nosso horário de partida.

Isso enquanto pessoas que estavam muito mais atrasadas para seus vôos tentavam furar a fila descaradamente - algumas devidamente capturadas pelos agentes federais que as encaminhavam para o final da fila que eles mesmo causavam.

O Brasil é um país único!!!

Infra-estrutura da Índia, serviço público em greve como o da França, eficiência inversamente proporcional a da Alemanha...

Com impostos mais caros que os dos EUA.

Doi!

E, finalmente... o incêndio na Barra da Tijuca!

Pois é, o prédio em chamas sábado à noite? É onde eu estava até o dia 28 de novembro.

Que tal?

Tudo bem com a família e com os bens, antes que vocês fiquem preocupados. Ninguém estava em casa e além disso o fogo atingiu outra coluna de apartamentos.

Quase tudo que se lê nos jornais foi mal pesquisado ou simplesmente mal redigido. Mas a maior mentira de todas foi dizer que o sistema de combate a incêndio do prédio não funcionou. Funcionou sim. Os sprinklers jorravam água que desciam pelas escadas e elevadores furiosamente.

O que não funcionou mesmo foi o aparato do estado.

Houve dificuldade para contatar os bombeiros e a polícia. Depois do contato eles ainda levaram mais de 1h e meia para dar combate efetivo as chamas - o que permitiu o alastramento do fogo e o desastre ao patrimônio que se viu. Hidrantes também não tinham água - acredito eu serem os hidrantes responsabilidade do estado e não do edifício.

Ninguém morreu por sorte. Podia ter sido muito pior.

Mas que cidade é essa que numa emergência não consegue contatar os bombeiros ou a polícia? E que quando eles finalmente chegam não tem os equipamentos para dar combate ao incêndio (escadas curtas, mangueiras que não tinham pressão para alcançar as unidades em chamas, etc)?

Não culpo os bombeiros, que obviamente não tem a infra-estrutura que precisam para serem eficientes no seu trabalho. Não temos nem como saber se tem o treinamento adequado!

Mas só posso responsabilizar o estado (nas diferentes esferas: municipal e estadual) pela situação de abandono em que nos encontramos. Apesar dos altos impostos que se pagam...

Ainda bem que não havia ninguém preso nos andares superiores. Porque eu tenho certeza que os bombeiros não teriam nenhum tipo de aparato capaz de resgatá-los.

Uma palavra: Joelma.

De 1974, quando ocorreu o Joelma, pra cá você pensaria que os avanços tecnológicos necessários teriam chegado ao Brasil. Mas eu duvido.

Nos dois casos - 1974 e 2005 - curto circuito no ar condicionado (a comprovar). Que tal?

Vocês não querem que eu volte...

Várias decepções com o Rio...

Apesar da visita descrita no post abaixo ter sido maravilhosa no quesito ver a família e alguns poucos amigos, por outro lado voltamos - eu e a esposa - absolutamente estupefatos e desgostosos com o que vimos.

Eu até dei um tempo bom antes de fazer esse post, porque não queria exagerar as coisas com as cores do impacto da visita recente.

Mas a verdade é que cada vez que vamos ao Rio, as coisas parecem piores.

O trânsito, que sempre foi assassino, está absolutamente barbárico. Voltando do aeroporto onde fui apanhar meus sogros que voltavam de Brasília, fomos cortados por um carro que só faltava ter escrito na lateral em letras vermelho sangue: "Bonde do Mal". Nos cortou e embicou em direção a uma favela ali perto da Linha Amarela (desculpem, não lembro o nome).

O crime tomou dimensões absolutamente inacreditáveis. Exemplos:

a) As pessoas comemorando a "determinação" do traficante da Rocinha de que não poderiam haver roubos ou qualquer tipo de crime entre o Downtown na Barra da Tijuca e o Humaitá. Gente esclarecida agradecendo ao ato do bandido.

b) Um relato de segunda mão: sequestro presenciado por um casal de turistas de São Paulo no Barra Shopping em plena quarta a feira à tarde!!! Viram uma mulher se jogada dentro de um carro, gritando por socorro, anotaram a placa do carro e relataram o ocorrido a uma patrulhinha da PM. Reação dos policiais: "Podem ficar tranquilos que nós vamos investigar!". Pior: os turistas me dizem que não se surpreenderam tanto porque "SP está igual".

c) As pessoas com medo de ir a qualquer lugar à noite. Quase um toque de recolher implícito.

d) Tudo MUITO, mas MUITO CARO!!! E tudo "maravilhosamente" parcelado em até 3000 vezes. Inacreditável. Uma saia, numa loja de um shopping menor, custava R$ 500. Quando comentei que o preço era ultrajante, fui informado que poderia pagar em 12 vezes "sem juros". Numa conversa com amigos, alguns - para o meu espanto - achavam isso a coisa mais normal do mundo e até um bom negócio porque era "sem juros"; outros deixaram claro que se não for nesse esquema ninguém compra nada. O "sem juros" entre áspas, para ficar claro, quer dizer que os juros já estão devidamente embutidos no ultrajante (SIM!!!) preço do produto...

e) A cidade do Rio absolutamente imunda. Mais do que de costume. A cidade de Brasília - que vá lá, não visitava há mais de 8 anos (e mesmo assim por um dia apenas, à trabalho, depois de ter morado lá por 11 anos) absolutamente emporcalhada e pixada.

f) Vários colegas desempregados, empregados mas sem receber devidamente, ou empregados ganhando muito mal porque não há empregos que paguem bem. E isso porque estamos falando de profissionais de informática com anos de experiência.

Fica a sensação - dividida com a minha esposa - de que voltar ao Brasil hoje seria um choque tão grande que não teriamos condições de suportar o impacto.

Isso sem falar no meu próximo post...

Uma visita de surpresa ao Rio...

Chegamos ao Rio de surpresa no dia 18 de novembro. No aeroporto minha mãe esperava a minha amiga Carla, que mora em NY, e que estaria trazendo uma mala a meu pedido pra entregar pra ela. Minha mãe, coitada, plaquinha na mão com o nome todo da Carla aguardando a tediosa liberação das nossas malas e da alfândega.

Depois de deixá-la tonta com nossa aparição, rumamos para o escritório do meu pai no Centro da cidade. Minha filha para na porta da sala dele e ele fica uns 5 segundos olhando pra ela sem entender bem o que está acontecendo. Aí ela começa a rir e ele acorda.

De lá pra casa, onde minha avó - com 83 anos - achou que estava tendo visões e chorou muito; e meu irmão ficou boquiaberto ao vir "visitar minha avó a pedido dela" e deu de cara conosco.

Pano rápido para uma aparição em Brasília, visitando a família da irmã da minha esposa. Choques diversos, palavrões de diversos calibres, e muita alegria pela visita surpresa.

Essa foi a parte legal...

15 de novembro de 2005

Passado, presente e futuro...

“O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Não há princípio que não seja desmentido nem instituição que não seja escarnecida. Já não se crê na honestidade dos homens públicos. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos abandonados a uma rotina dormente. O desprezo pelas idéias aumenta a cada dia. A ruína econômica cresce, cresce, cresce... A agiotagem explora o juro. A ignorância pesa sobre o povo como um nevoeiro. O número das escolas é dramático. A intriga política alastra-se por sobre a sonolência enfastiada do país. Não é uma existência; é uma expiação. Diz-se por toda a parte: ‘O pais está perdido!’.”

Eça escreveu isso, em 1871.


Da coluna do Jabor de hoje em O GLOBO.

Eça de Queiróz já criticava assim a sociedade portuguesa (de que nós somos a extensão natural) há mais de 130 anos.

Que chance temos nós?

11 de novembro de 2005

Finalmente, um estudo sério...

Um estudo científico sobre a eficácia dos capacetes de papel alumínio!!!

Finalmente!!!

2 de novembro de 2005

Muito bom...

Do Jon Stewart, conversando com a Senadora Barbara Boxer em seu programa The Daily Show, sobre o fechamento do Senado para discutir a inteligência (ou falta dela, na minha opinião) que levou a guerra do Iraque:

"Escuta, você tem de pensar que quando a Alemanha não quer ir pra guerra... Algo está errado. Algo não está certo. Eles foram pra guerra porque pensaram que a Polônia estava olhando pra eles!"

Ele é muito bom...

25 de outubro de 2005

Pobre de mim...


My blog is worth $2,822.70.
How much is your blog worth?



Se alguém quiser comprar por isso aí, tô vendendo! ;-)

19 de outubro de 2005

Se isso não é maneiro, eu não sei mais o que é...

OK, vá lá...

É maneiro para quem é nerd como eu. ;-)

Um jogo de tabuleiro que ensina os princípios básicos de programação. Para crianças de 11 anos ou mais (mas eu vou comprar e experimentar com a minha filha de 7!).

SHOW!!!

17 de outubro de 2005

Uma frase pra ficar pra história...

"O máximo que podemos desejar de um político é que ele tenha medo de roubar."
- Diogo Mainardi, Revista Veja.

12 de outubro de 2005

Don't be evil

O Google monta um fundo de caridade com 1% do capital da empresa devotado a investimentos sociais nos países em desenvolvimento.

Vale dizer que a empresa que todos consideram o "Império do Mal" - a Microsoft - tem o maior benfeitor individual do planeta; Bill Gates.

Don't be evil, indeed.

10 de outubro de 2005

Quantos amigos você chamou de Bornay?



Morreu Clovis Bornay.

Este post é uma homenagem a todos os amigos "esquisitos" que acusamos de Bornay durante toda a infância/adolescência... Vá lá... Como adulto também!

Purpurina! Tudo Purpurina...

5 de outubro de 2005

Leiam essa entrevista...

Leiam esta incrível entrevista com o neto de um oficial nazista e sua pesquisa e envolvimento em entender o que aconteceu nos primeiros anos do Terceiro Reich.

É de uma franqueza difícil de encontrar.

Incrível.

4 de outubro de 2005

Em tempo!

Depois que escrevi o post abaixo, me toquei que deixei de fazer uma observação de suma importância!

Como já dizia um colega consultor: o cara tem de saber separar o profissional do dinheiro.

Não estou advogando que ninguém jogue seus empregos pro alto e vá buscar a próxima etapa da carreira. A pessoa tem de saber diferenciar que, feliz ou infelizmente, antes de ser profissional temos de conseguir pagar as contas no fim do mês.

E as vezes até topar e suportar momentos profissionais de pouca satisfação pessoal mas grande satisfação financeira.

Miopia gerencial, emprego e carreira...

Depois de quase 20 anos de profissão, já ví todo tipo de gerencia. Das eficientes, passando pelas inúteis e chegando as infernais. Mas um fato comum liga todos os gerentes com que já trabalhei: miopia.

Não quero dizer que eu via coisas que o gerente não via! Pelo contrário. Alguns dos meus melhores gerentes conseguiam ver melhor do que eu através do fator de distorção da miopia. Eram safos, tinham capacidade de reação as surpresas que a miopia encobria.

Mas em maior ou menor grau, com maior ou menor capacidade de reação, a miopia estava sempre presente.

O problema é decorrência natural do envolvimento intenso com um problema ou conjunto de problemas. É natural que o imediato se coloque em proporção muito maior ao longo prazo e é aí que a miopia se nutre. De repente o que era futuro se torna presente e não há um plano. E se o gerente não for bom e não contar com uma equipe capaz, as coisas degringolam - talvez definitivamente.

Nada de novo pra quem trabalha 90% do tempo resolvendo problemas e encontrando soluções para ineficiências. Certo? É a vida...

Mas quando você começa a enxergar através da miopia melhor que o gerente, quando o cara se recusa a enxergar - e a ouvir!!! - fica muito difícil continuar acompanhando o trajeto.

Não se trata de querer dirigir o ônibus - eu reconheço muito bem as minhas características de control-freak e apesar de ser um esforço sobre-humano, na maior parte do tempo eu sou perfeitamente feliz em exercer meu papel de técnico e consultor, só - mas de não achar que o ônibus está indo pra onde nós, indivíduos, teriamos de ir.

Porque todo profissional tem de estar de olho sempre duas coisas, simultâneamente: emprego e carreira. A carreira é o longo prazo e o emprego é o imediato. Aqui não pode haver miopia. O sujeito tem de ter claro na sua cabeça (ou tão claro quanto possível) o que quer em termos de carreira. Ou pelo menos o que não quer. E constantemente ajustar o emprego a essa realidade.

Se o cara está perfeitamente contente em ter emprego, e só - na minha opinião ele poderá ser o melhor empregado do mundo, mas não se trata de um profissional. O profissional anseia pela carreira, pelo desafio; ele ambiciona o crescimento e a evolução dentro da carreira que escolheu.

Como um profissional, chega uma hora, por mais que se deseje continuar na rota cômoda, que é preciso saltar do ônibus. Reconhecer este momento é também um sinal de maturidade na carreira escolhida. Saltar do ônibus faz parte da rota da vida.

E, sei lá, talvez tomar um trem.

29 de setembro de 2005

O momento da verdade...

Tudo isso que está acontecendo com os Republicanos ultimamente, é fruto do que eles próprios semearam.

O resultado catastrófico da FEMA no socorro à Nova Orleans, é só o mais visível resultado de um comportamento exagerado, mas comum a ambos os partidos e a governos em geral. Indicaram-se indíviduos bem relacionados politicamente para cargos em toda a administração - sem preocupação com qualificações. Michael Brown (ou "Brownie", como o presidente o chama) é só o exemplo máximo dessa rifa de cargos. Um exemplo que custou muito caro em vidas humanas.

Tom Delay sendo indiciado em crime eleitoral num estado onde é praticamente impossível cometer tal crime, é só outro exemplo do total desprezo pela Lei. A Lei para as camadas mais altas do Partido parecem só se aplicar aos outros, nunca a eles. O mesmo vale para a acusação de "Inside Trading" que paira sobre Bill Frist.

Karl Rove potencialmente sendo indiciado por revelar um agente da CIA é outro exemplo, muito pior porque foi uma vingancinha infantil com o objetivo de alertar outros potenciais "whistleblowers" de que discordar do regime teria um preço.

E estes "conservadores" (entre áspas porque são os primeiros conservadores que vejo investidos em aumentar de tal forma o deficit público e que gastam como se não houvesse amanhã em toda a oportunidade que tem) fizeram muito mais, e continuarão fazendo até que a imprensa e a população encontrem sua coluna vertebral e voltem a se colocar de pé e contra eles.

Mas durante todo o processo se postam a gritar "manobras partidárias" sobre toda e qualquer reclamação da imprensa, do público ou dos Democratas.

Os guardiões da moral estão nús e já estão estuprando a nação, que empobrece a olhos vistos, há quase 6 anos.

Mas vem aí eleições para o Senado e Câmara. Eu estou apostando que os Democratas (lembrem-se, apenas dois partidos efetivos, não há outra alternativa) vão capturar a maioria em ambas as casas.

E aí, quem sabe de 2006 a 2008 as coisas não começam a caminhar pelo menos de forma menos desavergonhada?

27 de setembro de 2005

Forte São João Baptista na Ilha de Berlenga Grande


Forte São João Baptista na Ilha de Berlenga Grande
Originally uploaded by celopes.

Não importa quanto tempo você passe em Portugal, nunca é suficiente. Portugal merece uma vida...

Minha avó, que foi tão moça para o Brasil (16 anos, uma menina), costuma dizer que não pode mais voltar; ela é Brasileira agora. Adotou e foi adotada e está feliz com a decisão. E diz isso com o sotaque tão lindo que eu sempre admirei e imitei com carinho.

Um país tão pequeno, conquistou o mundo! Essa sede Portuguesa da época de ouro que estudei com a alegria de um garoto que lia as aventuras de um herói de quadrinhos, tornou o Brasil possível.

E talvez essa minha sede pelo próximo destino, por viagens e mudanças constantes; seja herança dessa ligação tão forte que sempre senti com o país.

Saudades de Portugal.

As vezes, até mais do que do Brasil...

Olbrich Garden


Olbrich Garden
Originally uploaded by celopes.

Uma foto que tirei em Julho do Pavilhão Tailandês no Olbrich Garden aqui em Madison, WI.

Está no Flickr, junto com todas as minhas outras fotos.

Finalmente uma reação do mercado...

Massachusetts finalizou uma decisão de padronizar aplicações para o Desktop que suportem o formato OpenDocument.

Isso faz todo o sentido do mundo, porque estimula a competição mas mantém regras justas. De que adianta você optar pelo software A ou B se ele não pode ser lido por este ou aquele sistemas?

O padrão OpenDocument não é difícil de implementar, pelo contrário.

E vai, aos poucos, quebrar o monopólio da M$ onde ela ainda domina - aplicações Office.

Que os outros estados americanos e o Brasil tomem nota...

25 de setembro de 2005

GeoBloggers...

Ah, unindo todos os buzzwords num só site: Flickr, Google Maps e GPS!!!!

É amador, mas é interessante!

21 de setembro de 2005

Quem não tem o que falar, cala a boca...

Meu pai martelou isso na minha cabeça por anos quando eu era moleque: "Quem não tem o que falar, cala a boca!". Normalmente eu ouvia isso quando falava fora de hora ou simplesmente quando falava uma besteira maior que o iceberg do Titanic - fato nada incomum até hoje...

Mas eu, depois de quase 20 anos de profissão, estou finalmente aprendendo que mesmo quem tem o que falar devia calar a boca também.

É a tal história: as coisas caem na sua esfera de controle, sua esfera de influência ou fora das duas. Não tem o que fazer. O problema é identificar até onde vai a sua esfera de controle, onde termina a sua influência e onde começa "o resto". Principalmente se, como eu, você é um "control freak" (como dizer isso em português?).

Em todos os lugares porque passei, apontei problemas. Faz parte do meu treinamento profissional identificar problemas e corrigí-los. Só que, quando você começa a apontar problemas na sua esfera de influência - onde você depende de um terceiro para a correção - ou pior, completamente fora da sua esfera de influência; as pessoas começam a ficar incomodadas. Principalmente se, como eu, você é impaciente e pressiona, repete, pressiona, repete, pressiona, repete...

Veja, em nenhum momento eu apontei problemas com intenção outra que resolvê-los. Não há malicia nos comentários. Mas a interpretação de ações e atitudes é individual e absolutamente fora do controle de qualquer um que não o intérprete.

Resultado: reclamações.

E eu acho que as pessoas estão no seu direito em reclamar. Se uma atitude minha está criando um problema no ambiente de trabalho, é óbvio que eu não só não estou ajudando a resolver o problema original mas aumentando o número de problemas que tem de ser resolvidos! Não é de forma nenhuma minha intenção. Não quero ser um problema por reclamar que existem problemas...

Mas o fato é que eu não consigo lidar bem com a imobilidade ou a lentidão em atacar os problemas ao meu redor. Pior, as vezes existem razões que eu desconheço para essa imobilidade ou lentidão, mas eu continuo importunado pelo fato do problema não se resolver.

Como controlar a índole? Como aprender a levantar a lebre, garantir que a lebre foi devidamente documentada, e seguir no meu caminho sem ficar aborrecendo os outros ou me aborrecer porque as coisas não acontecem?

Compondo ao meu problema particular, vem o fato de eu ser um técnico e muitos dos problemas com os quais eu sou obrigado a conviver não terem natureza técnica mas administrativa ou gerencial...

Eu fico lívido quando uma pessoa paga para ser Gerente (mais do que eu, as vezes, o que faz muito pouco sentido para mim pessoalmente; mas isso é assunto pra outro post) toma uma decisão absolutamente errada ou, pior, não move uma palha para resolver as questões que se apresentam. Eu acabo tomando as rédeas da situação - quando é permitido - e resolvendo as coisas. O que, claro, só me traz mais problemas porque posso colocar a incompetência/inabilidade/preguiça deste ou daquele indivíduo em evidência se não tomar o devido cuidado de dar crédito a quem não merece.

Ou que tal quando você aponta um problema e uma solução possível e é removido do processo de resolução? De repente uma muralha se forma ao redor do problema e sabe-se lá que solução será implementada.

Como controlar o impulso de querer resolver tudo? Como controlar a boca e evitar bater na mesma tecla de novo e de novo e de novo, até que em certo momento o sarcasmo domina o discurso? Como controlar a sensação de ter sido "ignorado" quando a solução do problema não passa por você? E como evitar dizer "Eu não disse?" quando a merda bate no ventilador?

Eu sei que o problema sou eu. Já aconteceu em mais de uma empresa, com pequenas variações no resultado e na intensidade da minha revolta.

Além do que, mesmo que o injustiçado fosse eu (e não é o caso), eu só posso ter esperança em mudar a mim mesmo...

Isso eu aprendi há muito tempo!

Respostas?

PS. Junkie, não vale responder "drogas!". ;-)

11 de setembro de 2005

Será que as coisas mudam?

A prisão de Paulo Maluf e o trabalho do Ministério Público em casos como o da Daslu me dão certa esperança.

Não, eu não sou inocente. Sei que muitas vezes as coisas pareceram que iriam mudar no Brasil e voltamos a ver que os diabos mudam de nome, mudam de cor, mas não mudam de táticas.

Mas o que dizer? Prenderam um dos corruptos mais conhecidos do país. Da antiga. Descobriram - e ao que parece tem quilos e quilos de provas - que não só ele estava desviando dinheiro público, mas a família inteira está envolvida; assim como uma das maiores empreiteiras do país, a Mendes Junior, que deveria ser investigada e punida também (eu sugiro a suspensão de contratos públicos por um período superior a 5 anos e inelegibilidade para licitações por 10 anos).

O caso da Daslu também é notório. Finalmente a casta superior sofreu um revés. Finalmente, acontece alguma coisa neste país, para provar que a Lei é aplicável também aos ricos. Se os impostos são injustos, cabe ao empresariado usar de todos os meios legais para contestá-los - mas sonegação e subfaturamento não são solução. Nada que lesa o público é.

Ao mesmo tempo esse escândalo do governo e a performance da imprensa brasileira me enchem de orgulho. Os americanos, eu sei, adorariam uma imprensa atuante como a nossa. Não tem mais. Já há algum tempo a imprensa daqui é regida menos pelos seu dever de informar o público e buscar darwinisticamente o furo de reportagem, e mais pelo "paycheck" e pelo instinto de sobrevivência.

O Brasil, infelizmente, eu bem sei, tem uma tradição de vivenciar essas crises e retornar a normalidade da casta superior vivendo as custas da inferior. De continuar oprimindo os mais pobres ao negar a eles as oportunidades de se desenvolver para deixar de sê-lo. Um carnaval, uma copa do mundo, é tudo que é necessário para a memória do brasileiro se nublar. Temos o foco e a atenção de um peixe dourado com alzheimer terminal...

Não basta denunciarmos corruptos, não basta encarcerarmos os que lesam o patrimônio público e punirmos os corruptores. Temos de encontrar o caminho pra uma nação mais justa.

Não espero que os políticos de lugar nenhum decidam por essa nação mais justa. Cabe ao povo Brasileiro forçar as mãos dos seus representantes através de vigilância constante e escolhas acertadas nas urnas.

Acho que um bom começo é tomar um fosfozol (pros mais jovens, um remédio pra memória)...

2 de setembro de 2005

Quando se pensa que chegou-se ao fundo do poço...

... a Veja cavuca um pouco mais.

Nenhuma reclamação da minha parte. O papel da imprensa é esse mesmo: investigar e trazer a público o que é de interesse nacional.

E o que pode ser mais de interesse nacional do que apontar claramente os crápulas no poder e tentar garantir que os outros pensem um pouco e tenham medo de seguir o mesmo caminho?

Parece que o deplorável Severino, presidente da Câmara, está não só envolvido em pelo menos um escândalo de corrupção; mas trabalhando ativamente para melar as punições das CPIs.

Então, comprova-se, que não só fala como um ignorante e como um bandido, mas age como um verme.

Este é o homem que o Presidente da República acaba de condecorar com a Ordem do Rio Branco!!! E são criaturas como esta de que se cerca o Presidente da República - vide o Sr. Augusto Nardes, outro verme amigo de Severino, que o Presidente acaba de nomear Ministro do Tribunal de Contas da União; mesmo contra a recomendação do presidente do TCU em vista da condenação do indicado por crime eleitoral, peculato e concussão.

E agora Lula vai clamar o quê? Que não sabia da indole de Severino? Que seus assessores não fizeram o trabalho devido na avaliação de um candidato a Ministro do TCU?

Melhor assumir publicamente que não controla nada, que não preside nada.

E voltar a só reclamar de quem efetivamente está no poder.

Bravatas, como ele mesmo diz, ele faz bem.

E alto.

1 de setembro de 2005

Uma causa justa...

Assine você também a petição contra o Ministro Helio Costa e uma série de decisões que privilegiam indústrias e empresas não nacionais por nenhum bom motivo técnico.

Eu não concordo com todos os pontos da carta, mas concordo com alguns. Sou absolutamente favoravel a implementação de software livre aonde quer que seja tecnicamente viável (consideradas aí as questões de suporte e manutenção), principalmente no ambito do governo. É dinheiro que - em teoria - sobra pra ser investido no que é realmente preciso.

A petição pode não causar a demissão de ninguém, mas certamente levará a reconsideração de algumas das medidas.

Leia a carta e assine aqui!

28 de agosto de 2005

Fedora Core 4

Finalmente recuperado do crash do HD na minha última máquina que ainda rodava Windows, e revoltado com a quantidade de malware que encontrei na máquina (que é utilizada por minha filha e esposa com muito mais frequência do que por mim), instalei o Fedora Core 4 ao invés de voltar a velha cópia do Windows.

Eu já uso o FC4 (para os íntimos) no meu laptop do trabalho. Linux não é um desconhecido pra mim.

Mas me surpreendi com a facilidade de configurar até coisas que eu esperava ter de suar frio para fazer funcionar!

Minha impressora HP PSC 2210, uma multifunção com scanner e fax. Eu já estava preparado para ser capaz de imprimir mas não de usar o fax. Para minha surpresa, a impressora foi reconhecida automaticamente e o scanner funcionou na primeira tentativa!

Usando o OpenOffice ao invés do office da M$, usando o GIMP ao invés do Photoshop, e o firefox ao invés do maldito IE. Num sistema operacional livre de vírus.

Liberdade, e de graça!

27 de agosto de 2005

Se é para ter religião, anota aí...

Eu sou Pastafarian!

Ensinar "intelligent design" em salas de aulas como ciência é ridículo!

26 de agosto de 2005

Para isso pagamos impostos...

Vem do jornal O GLOBO a notícia de que aquela aposentada que passou dois anos filmando a atuação do tráfico na rua onde mora, foi descreditada pela polícia que dizia que ela estaria "exagerando".

É sensacional.

Você paga os seus impostos, vê a rua que você mora não só sem policiamento, mas como mercado de drogas com o envolvimento de policiais, informa a polícia, e ouve de volta um "Ah, isso é exagero!".

A polícia é paga - com os impostos altíssimos que são cobrados a vocês (porque eu, graças a Deus, não pago mais impostos no Brasil; meus impostos financiam guerras em outros lugares, infelizmente) - para proteger e investigar. Se uma denúncia vem a tona, ela tem de ser devidamente investigada, a origem da denúncia não é meritória de consideração.

Chega-se a conclusão de que se uma pessoa reporta um crime e por qualquer motivo é considerada "pouco confiável" na avaliação arbitrária de um comandante de batalhão, nada se faz. E tudo certo.

Claro que a polícia tem recursos limitados. Claro que há que se priorizar o atendimento da melhor forma possível - urgências primeiro. Mas não se dar ao trabalho sequer de investigar?!!

Só tenho pena dessa senhora, que em pouco tempo será morta, com toda certeza.

Se isso vai ser notícia de jornal, são outros quinhentos...

24 de agosto de 2005

Excelente!!!



"Bill Moyer, 73 anos, usa o "Bullshit Protector" sobre sua orelha enquanto o Presidente George W. Bush discursa para os Veteranos de Guerras Estrangeiras"

Google Talk, a nova moda...

Só falam nisso.

Google Talk!

Só porque é do Google.

O protocolo já existe há muito tempo. A aplicação em sí (só para Windows, por sinal, o que para mim significa que não posso usar) é mundana. Não oferece nenhum tipo de integração extraordinária com o GMail.

Ou seja - para mim, por enquanto - fico mesmo com o meu GAIM e o iChat (que podem usar a rede da Google, mas porque eu faria isso?) e continuo tocando a vida.

Quando houver alguma característica que distingua o Google Talk dos outros vários IM clients disponíveis (e em que as pessoas já tem suas listas de contatos há muito tempo), alguns inclusive suportando video; eu penso em usar.

23 de agosto de 2005

A fama...

Eu até esqueci de comentar...

Na minha estada na California, no Grass Valley, durante uma convenção recente dos produtos da empresa pra qual trabalho; descobri que muitos brasileiros trabalham por lá durante a temporada de ski.

Um dia, jantando, perguntei a garçonete se haviam brasileiros trabalhando no restaurante.

- Não, nessa época as mulheres todas já foram embora...
- Não, não... Peraí. Eu sou Brasileiro também!
- AHhhhhh... Desculpa, pensei que você tivesse perguntando porque todos os homens só querem saber das brasileiras.

A fama é uma coisa impressionante.

Merecida ou não.

22 de agosto de 2005

Videogames...

Aqui nos EUA existe um intenso debate sobre o dano que videogames podem trazer aos jovens. Apesar da falta de evidências concretas, muita gente diz que não deixa o filho jogar este ou aquele jogo porque pode induzir a este ou aquele comportamento.

Eu sou de uma geração intermediária, que cresceu jogando video-games e que quase não joga os jogos ultra-realistas de hoje (mas jogo de vez em quando).

Minha opinião é a seguinte: gente idiota vai ser influenciada por qualquer meio.

Videogame, filme, livro, um amigo... Não importa. Se o cara é idiota e não tem ninguém para lhe orientar, ele vai fazer besteira inspirado por um video-game. Mas também faria inspirado por um livro. Ou por um filme. Ou por uma história em quadrinhos. Ou, simplesmente, porque está andando com as companhias erradas.

A diferença entre o video-game e um filme como motivador para um comportamento beligerante, por exemplo, é nenhuma.

Me mata de rir quando eu leio casos como a da avó que comprou o Grand Theft Auto San Andreas pro neto pré-adolescente, e processou a empresa quando se descobriu que haviam cenas de sexo acessíveis no jogo.

Porque a mensagem que fica é: roubar, matar policiais, espancar e atropelar inocentes - tudo fazendo parte da interface básica do jogo - pode. Mas sexo, de jeito nenhum!!!

Minha filha, que tem 7 anos, de vez em quando joga ou me vê jogar, Grand Theft Auto Vice City. Ela sempre me vê jogar o Splinter Cell. Em ambos os jogos se matam pessoas.

Só que quando ela joga o GTA VC, ela se recusa a, por exemplo, roubar carros "porque é errado!". Ela joga como se estivesse num grande jogo de Sims. Andando pela cidade e pegando carros estacionados.

Claro, eu converso com ela e explico que tudo aquilo é faz-de-conta. Que na vida real ninguém sai por ai atirando em ninguém, porque isso é uma coisa muito séria e que ninguém deve, intencionalmente, querer machucar ninguém.

Será que os pais desses garotos de 15 que saem por aqui matando e dizendo que "se inspiraram" no videogame X fazem o mesmo? Dúvido. É mais fácil entregar a educação dos filhos ao sistema educacional (que é feito pra TREINAR e não EDUCAR, aliás como prefiro!) e a TV do que se envolver e participar da vida dos filhos...

Sem contar que, aqui, um processinho contra uma empresa de videogames pode gerar uma boa grana...

Ai ai...

Pra quem vem de cidade grande, dar de cara com o jornal de maior circulação do estado fazendo uma comparação - A SÉRIO - de se vale mais a pena dirigir ou comprar um cavalo; é surreal...

Na primeira página da edição de hoje! Veja aqui! Infelizmente eles não mostram na edição online o mesmo quadro comparando lado a lado e concluindo que o cavalo é mais barato...

O preço da gasolina aqui está alto (para os padrões americanos) e buscam-se alternativas em todos os lugares.

Mas eu, a cavalo?

18 de agosto de 2005

E alguém achava que ele era santo?!?

A Veja informa que Roberto Jefferson "controlava com mão de ferro" o esquema de arrecadação nos correios...

E alguém achava que ele estava altruísticamente defendendo o que é justo e bom?

É tudo ladrão.

Um ou dois podem se salvar. Mas tem de investigar todo mundo.

E botar gente em cana. E tomar de volta o dinheiro que se empregou nestas criaturas...

Aliás, taí uma boa medida. Político pego em esquemas de corrupção automaticamente é destituido e obrigado a restituir TODOS OS SALÁRIOS RETROATIVAMENTE ATÉ SUA ELEIÇÃO.

A outra boa medida seria proibir reeleições de vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores. Presidentes, Governadores e Prefeitos só podem ser reeleitos uma vez e podem no máximo ocupar o cargo duas vezes na vida.

Renovação constante para evitar que a manha da sem-vergonhice se estabeleça...

Frase do dia...

O trabalho danifica o homem.

17 de agosto de 2005

Autoridades...

Lí em algum lugar que esta tramitando um projeto de Lei que obriga as empresas aéreas a reservar lugares em vôos para "autoridades".

É o cúmulo.

Esses sujeitos perderam completamente a noção de realidade. Ao invés de resolverem ou incentivarem a solução dos problemas de um segmento que está, nitidamente, com problemas no mundo todo; resolvem o seu problema de não achar vagas em aviões.

Quanto tempo se gasta na avaliação de um projeto desses? E o que a população em geral ganha com isso?

Sim, porque as "autoridades" são meros representantes da vontade democrática e devem defender os interesses do coletivo.

Que interesse coletivo há em garantir lugares para autoridades em vôos?

Não tem Fora Lula que resolva a situação do Brasil. O problema é endêmico. O cara é eleito e decide que está acima dos seus eleitores, que não precisa mais conviver com os problemas que seus eleitores convivem. Passou a casta de cima!!!

As capitanias hereditárias não acabaram!

16 de agosto de 2005

5.3 Km em 30 minutos...

Ontem a noite fiz meu melhor tempo até o momento nas minhas incursões pós Crazy Legs e Mad City Marathon.

3.3 milhas (5.3Km) em 30 minutos.

O que quer dizer que eu teria corrido as 5 milhas da Crazy Legs em 45 minutos mais ou menos, 5 minutos melhor do que corri no início do ano.

E no caso da Mad City Marathon (onde eu corri os 10Km, não a maratona porque não sou louco!), eu teria completado em 56 minutos. Também 5 minutos melhor que há três meses atrás.

Aos poucos vou melhorando...

15 de agosto de 2005

Carta à Veja...

Mandei a seguinte carta à Revista Veja e ao Articulista Stephen Kanitz:

Li, com o mesmo interesse de sempre, o artigo de Stephen Kanitz em sua última edição.

Não escrevo para criticar o mérito das medidas propostas. São todas
interessantes, apesar de pensar que o sistema de primárias - em
especial em termos de segurança - é um tanto mais complicado que o
articulista faz parecer. Adoro a idéia de reduzir o número de
"representantes" (como se eles efetivamente nos representassem, ao
invés de apenas aos seus próprios interesses). Quanto menos
sangue-sugas, melhor.

Escrevo para discordar da avaliação de que toda a corrupção advém dos
custos de campanha. Partindo deste pressuposto, os políticos
brasileiros tem um motivo, uma desculpa, para os seus atos.

Eles roubam porque podem e porque sabem que não vão ser punidos. E só.

Roubam porque corruptos saem ilesos e nunca são obrigados a devolver o
que roubaram. Nem multados são! Propinas são oferecidas porque os
corruptores nunca são punidos, afinal só fizeram o que o "sistema"
espera deles.

Num país onde a propina foi estabelecida até entre empresas privadas -
com empresários e diretores exigindo "kick-backs" por baixo dos panos
de outros empresários só para utilizarem seus serviços; ou contratam a
concorrência - o que mais se pode esperar?

Reforme-se o que quiser, se não começarmos a punir exemplarmente os
bandidos - que é o que todos eles são, independente de partido
político e apesar da pose - nada vai mudar.

Punir tomando de volta o que é nosso. Punir colocando na cadeia. Punir
tornando inelegíveis permanentemente e sem direito a exercer nenhum
cargo público (inclusive os cargos em confiança). Punir negando acesso
a licitações públicas a qualquer empresa que tenha em seus quadros um
corruptor ou corrompido.

Mas, entendo o articulista. Um profissional tem de se ater ao que é
realizável. Se reduzirmos em alguma coisa a bandalheira, já temos de
comemorar.

Porque acabar com ela? Dúvido.

11 de agosto de 2005

"Ou recebia assim ou levava cano"

Uma coisa que eu nunca entendi no Brasil é que, nas raríssimas vezes em que se investiga corrupção, os corrompidos são execrados pela sociedade. Punidos já é outra história...

Mas os corruptores, os caras que deram grana ou que se beneficiaram do esquema de corrupção, saem com "Se eu não fizesse outro fazia!", ou "É o único jeito que as coisas são feitas no Brasil", ou a mais nova - usada pelo Duda Mendonça - "Ou recebia assim ou levava o cano".

Eu não vou nem linkar o artigo do Globo.

O mais interessante é que ninguém - absolutamente ninguém - se surpreende. Todo mundo já sabe que é assim mesmo.

E o pior: muita gente batendo boca sobre quem tem culpa, quem tem de ser punido - e é claro que isso é imprescindível.

Mas o que eu quero é saber como vamos fazer para consertar o que está quebrado. Evitar que as mesmas coisas aconteçam de novo e de novo e de novo, enquanto o país afunda cada vez mais na ladroageme na sem-vergonhice.

Certo me disse meu pai, num e-mail recente onde eu reclamava de saudades da família, ao dizer "pelo menos você não está aqui para viver outra crise instituicional".

Mais uma.

Quando é que vamos tentar corrigir o problema???

Pelo jeito, nunca!

Segredo da vida?

Gustave Flaubert já dizia...

"Ser estúpido, egoista e ter boa saúde são três pré-requisitos para felicidade, mas se a estupidez faltar, tudo está perdido."

Fazer o quê?


My computer geek score is greater than 92% of all people in the world! How do you compare? Click here to find out!


Eu sou um nerd...

5 de agosto de 2005

2 de agosto de 2005

Resta saber se a polícia é só incompetente ou completamente idiota...

"Bicicleta é fonte de problema"; assim o delegado Alberto Pires Lage justificou a apreensão de 27 bicicletas "suspeitas" nos morros do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo.

Ou seja: roubos estão acontecendo na orla e os criminosos usam bicicletas. Qual a solução? Apreender bicicletas "suspeitas".

Investigar, procurar suspeitos, policiar ostensivamente e reprimir o crime? Pra quê?

Sem as bicicletas os criminosos óbviamente não poderão operar!!! Desbaratamos mais uma quadrilha!!! Viva a nossa polícia!!!

Eu fico pensando se é pura incompetência ou se eles são idiotas completos mesmo.

Talvez eles sejam é muito competentes, e os idiotas sejamos nós...

Não vou mencionar o aspecto arbitrário, digno de ditaduras, de apreender propriedade alheia sem provas de que é roubada. Ou o impacto social que isso gera na população dos morros, que já vê a polícia como o inimigo e agora nem mais bicicleta podem ter.

Eu vou fazer uma previsão: haverá um aumento drástico no número de bicicletas roubadas na orla.

E por algum motivo - apesar das incursões apreendedoras de bicicletas suspeitas - os outros crimes não vai deixar de ocorrer.

30 de julho de 2005

Taí, cadê a gritaria?

Morreu jantando com a namorada.

Bala perdida.

Numa cidade ainda mais perdida.

Rolam boatos de que...

ELE VOLTOU!!!!

O Sr.Indignado voltou!!!

Finalmente uma outra pessoa pra reclamar da vida...

Eu só quero saber uma coisa...

ONDE ESTÃO OS CARAS PINTADAS???

Tá na hora de exigir que cortem umas cabeças.

E o Brasileiro que morreu em Londres?

Vários e-mails reclamando que eu sumi. Vários cobrando que eu critique a truculenta polícia britânica.

Vocês só podem estar de sacanagem comigo...

No Brasil, a polícia mata gente culpada e inocente todo dia. Milhares por ano. E vocês querem que eu critique a "truculenta polícia britânica"? Sério! Foi assim que eu recebi no e-mail "truculenta polícia britânica".

O que aconteceu foi trágico. O que aconteceu foi infeliz. O que aconteceu foi um erro grave - no meu entender está sendo investigado - e houve com certeza excesso do uso de força; oito tiros na cabeça?!?

Mas sabe do que mais? Morreu um Brasileiro. Se fosse um Alemão eu duvido que a grita seria tamanha. Se fosse um Argentino era capaz até de vocês fazerem festa...

A verdade é uma só: virou uma oportunidade para apontar o dedo em outra direção e não olhar pro próprio umbigo. Virou uma oportunidade de pensar "Olhaí, acontece em Londres também!".

Antes de criticar a "truculenta polícia britânica" vamos tomar vergonha na cara, ok?

Eu quero as estatísticas de quantos crimes cometidos por policiais no Brasil são devidamente apurados. E quero ver o resultado para os policiais - que já estão suspensos de atividades armados - que cometeram o erro em Londres.

Vamos comparar?

18 de julho de 2005

Alguém sabe se um estudo desses já foi feito no Brasil?

Estudo diz que Etanól não compensa!

Basicamente, para produzir o Etanól a partir de milho aqui nos EUA, gasta-se mais energia do que o combustível produz.

Será que alguém já fez uma pesquisa semelhante com relação ao Alcool de cana de açúcar???

15 de julho de 2005

A salvação da lavoura...

Um colega aqui do trabalho conseguiu recuperar a maior parte dos dados do meu HD usando o GetDataBack para NTFS.

Já estou com um DVD repleto das minhas fotos, e ele está coletando os meus MP3 e em breve meus outros arquivos. O processo é lento, mas parece funcionar.

Amém!

Já encomendei meu DVD burner também! Seguro morreu de velho, backup ONTEM!

14 de julho de 2005

A cry for help...

Volta Sr.Indignado!

Eu tenho certeza que não é só trabalho! Eu aposto que tem mulher na jogada também!

Dica: se ela começar um blog pode ficar mais fácil de você atualizar o seu! ;-)

Frei Betto sabia?

Da coluna do Ancelmo Gois:

Frei Betto está meio na moita em Paris. A amigos, tem dito que não se surpreendeu totalmente com as denúncias de corrupção no governo petista.

E que esta foi uma das causas de seu pedido de demissão.


Ué, então o ativista sabia do que se passava e ao invés de denunciar, ou se não tinha provas, levantar a bola junto a imprensa de que algo errado se passava; calou-se???

Não me parece uma atitude das mais corretas.

Ou não?

13 de julho de 2005

Tragédia Carioca II

O NoOlhar.com traz mais informações sobre a tragédia do ônibus no Rio, como apontei aqui.

Muito triste tudo isso...

Um lembrete de amigo...

Crianças, façam backups!!!

Nosso HD de 160Gb da maldita Maxtor (NUNCA MAIS!) parece ter falecido. Dentro deles centenas de fotos para as quais não tenho backups, além de outros arquivos importantes.

Ai ai...

Vou ter de morrer em algo entre $100 e $400 para recuperar os dados. Se é que são recuperáveis.

Antes eu tivesse comprado aquele DVD burner para me incentivar a fazer backups...

12 de julho de 2005

Ah, lembram quando eramos a 8a economia do mundo?

O Globo Online informa que somos agora a 14a... Isso porque subimos de posição.

Estamos atrás, por exemplo, da Índia, que agora é um dos 10 mais ricos do mundo. E a frente, imaginem, da Austrália.

Vá entender esse mundo.

11 de julho de 2005

Várias fotos da viagem a Portugal...

Várias fotos da nossa viagem a Portugal estão disponíveis no meu photostream do Flickr.

Não são todas ainda, mas eu chego lá.

9 de julho de 2005

Quem nunca comeu melado...

Escandalos e mais escandalos e mais escandalos...

O PT é a prova daquele ditado popular: "Quem nunca comeu melado quando come se lambuza".

Claro, os outros partidos e os outros políticos - TODOS ELES - fazem as mesmas coisas. Tudo igual.

Só que são mais hábeis em esconder e tem menos história posando como honestos e gritando contra os "desonestos".

Junta-se a inépcia dos petistas até pra roubar, com a gana dos oponentes que aturaram o PT a vida inteira posando de bom moço, com uma sociedade que não consegue admitir os pobres fazendo o mesmo que os ricos - roubado descaradamente...

Só podia dar nisso mesmo.

Como era mesmo a musiquinha do FHC???

"Avança Brasil..."

7 de julho de 2005

O título diz tudo...

O post do adamastoR no SUBSTRATO resume meu sentimento.

FILHOS DA PUTA.

6 de julho de 2005

Mais uma tragédia carioca...

Em mas uma tragédia carioca, um menino de 20 anos foi morto por um assaltante em ônibus que faz um trajeto bem conhecido meu.

Alguns passageiros culpam o motorista. Pobre coitado que devia estar tão assustado e nervoso quanto eles próprios.

O culpado, claro, é o assaltante. Foi ele que iniciou a ação e foi ele que puxou o gatilho.

Motivações e atenuantes podem existir, não conheço a história desse sujeito, mas a realidade é uma só: no Rio de Janeiro de hoje, mais do que nunca e mais do que em qualquer outro lugar, você sai de casa de manhã e entrega suas vida ao acaso.

O crime e a violência imperam, os policiais e a população não são educadas para lidar com essa realidade, não existem programas sociais para tentar amparar as pessoas que podem acabar enveredando pelo caminho da criminalidade, e não se está seguro em lugar nenhum.

O pior é que o resultado de tudo isso...

O criminoso vai parar numa dessas prisões que não recuperam ninguém; lá ele vai morrer ou se tornar um bandido ainda pior. Se sobreviver, Deus proteja suas próximas vítimas.

A população continuará a fazer demonstrações pela "paz", como se isso fosse resolver o problema ou fazer os criminosos dizerem "ah, é, a gente devia mesmo ser mais legal com essa gente!".

E os administradores públicos vão continuar no seu jogo de empurra enquanto a cidade que um dia foi o cartão postal do país aumenta os níveis de mortalidade de guerra civil.

Em Portugal, lendo o Jornal "O Público" do dia 24 de junho, uma deputada (acho) portuguesa fazia menção ao arrastão que recentemente acontecerá numa das praias da cidade e usava o Rio de Janeiro como paralelo de violência.

E isso que nossa cidade é no mundo agora: exemplo de caos urbano e violência desmedida.

5 de julho de 2005

Robinho não é bobo...

Condenado a passar mais um ano no Brasil, pelo menos, Robinho do Santos fica deprimido.

Eu te entendo Robinho.

Quando despontou a minha possibilidade de sair do Brasil, houve um entrave burocrático que por dois dias pareceu anular as possibilidades da coisa se concretizar.

Eu acho que foi a única crise de pânico que eu tive na vida.

Deprime, realmente, qualquer mortal.

Boa sorte, Robinho.

Live 8, assista...

Não estava em Londres, Philadelphia, Toronto ou alguma das outras cidades onde rolou o Live 8?

Então assista aqui a alguns dos artistas.

Não esperem que eu repita isso nunca mais: VIVA A AOL!!!

Live 8

Eu não ia falar nada...

Mas é o seguinte: esse tal de Live 8 é ótimo para lembrar as pessoas do mundo todo que existe muito ser humano sofrendo muito ainda e que nós como espécie tinhamos de ser menos mesquinhos.

Mas só.

Porque jogar mais dinheiro numa Africa corrompida sem exigir que os recursos cheguem realmente em quem precisa é irresponsabilidade.

Impressões sobre Portugal: fumo

Uma coisa que me impressionou negativamente em Portugal como um todo foi o uso de cigarros absolutamente em todos os lugares.

Sim, os maços tem um aviso dizendo que o cigarro mata, mas parece que os portugueses não se preocupam muito com isso...

Como ex-fumante (ou fumador como dizem em Portugal) - parei tem mais de 10 anos - foi uma tortura estar em restaurantes tentando comer cercado por gente fumando. Mesmo nas áreas para não-fumadores o cheiro e a fumaça são onipresentes.

Pessoas carregando crianças de colo e com um cigarro aceso a praticamente centimetros do rosto do pobre bebê. Ou cães sufocados pelas baforadas de seus donos em veículos com todas as janelas fechadas.

No Aeroporto de Portela, a confusão era total: algumas placas diziam ser o aeroporto uma área livre de fumo, outros diziam que haviam áreas especiais para fumantes; mas na realidade todo mundo fumava onde bem entendia. Inclusive os funcionários do aeroporto... Não tive coragem de tirar uma foto de um funcionário fumando tranquilamente bem embaixo de uma placa que dizia que o aeroporto era uma área "Smoke free". Nos banheiros, bem acima do repositório para o papel higiênico, há um pequeno aparato para se extinguir o cigarro - bastante usado por sinal.

Vejam, eu considero que cada um sabe de sí e que fumar é uma decisão pessoal. Eu parei, problema meu. Não estou aqui dizendo que as pessoas devem parar de fumar - ou melhor, até acho que devem; mas quem sou eu...

Mas tudo tem de ter um limite.

Ou não.

125 perguntas que precisam ser respondidas pela ciência...

125th Anniversary Issue: Science Online Special Feature

Bacana!

4 de julho de 2005

Uma semana em Portugal...

Daí o hiato nos posts.

Lisboa
Cascais
Sintra
Peniche
Berlengas
Nazaré
Alcobaça
Óbidos
Sesimbra

Foi muito legal. Minha filha de 7 anos, super companheira, nunca andou tanto na vida! Encarou tudo como uma aventura e o maior bom humor. Subimos juntos o Castelo dos Mouros em Sintra, com suas escadinhas apertadas e suas vistas maravilhosas. Medo? Nenhum.

Novos posts com impressões diversas em breve...

22 de junho de 2005

Desafio do Satélite do dia...

Aonde é isso?

Responda com um comentário abaixo ou num e-mail! :-)

Ah, sim... Brasil no Google maps, mas por enquanto só fotos do satélite ao que parece...

Bacana!

A carta de Pêro Vaz de Caminha ao Rei de Portugal detalhando a descoberta do Brasil passa a fazer parte do Registro da Memória do Mundo da UNESCO!

"A carta é um documento único por causa dos fatos que narra, a qualidade das suas descrições de pessoas e territórios e seu registro do diálogo cultural com pessoas desconhecidas aos Europeus à época. É rica em detalhes e observações astutas que nos fazem sentir testemunhas oculares do encontro."

21 de junho de 2005

Estratégia do Estado Brasileiro

Da coluna do João Ximenes Braga no Globo:

"Conversa no Jobi.

- Por que a gente não sai às ruas em protesto?

- Por medo de ser assaltado. "


Isso explica tanta coisa... :-)

A incapacidade...

É fato.

O Brasileiro é incapaz de discernir o certo do errado.

Vide o que diz o presidente (com p minúsculo, ele não merece mais) como reportado no Globo hoje: "... resolveram quebrar a questão ética e tudo isso por conta de um cidadão de terceiro escalão dos Correios (o ex-chefe do Departamento de Contratação de Material dos Correios Maurício Marinho) que pegou R$ 3 mil, ..."

O valor, sinceramente, não importa. Se ele tivesse pego R$ 1 já estaria errado. O montante é irrelevante numa história de corrupção.

Mas na cabeça do Presidente, o que são 3 mil na enormidade que é o cofre público Brasileiro?

A vantagem de uma CPI, presidente, é que ela tem foco de atenção pública e os ilustres representantes do povo querem mais é aparecer. A população usa deste fato para acompanhar sem o peso do sigilo de investigação policial que, na minha modesta opinião, acaba por favorecer aos bandidos.

Estar na boca do povo é o único jeito de combater a corrupção. Imprensa em cima. Sociedade civil indignada.

Claro, a CPI também prejudica a sua reeleição. Mas se o senhor estivesse realmente embuido de interesse público, isso seria menos importante que averiguar os fatos e punir culpados usando todos os mecanismos disponíveis.

20 de junho de 2005

Islã...

Tirado da entrevista desta semana da Veja com Ayaan Hirsi Ali, parlamentar holandesa que fugiu do mundo islâmico e critica ferrenha e constantemente a religião a qual renunciou.

Dentre outras coisas, um trecho para pensar:

Veja – Qual a diferença entre os fundamentalistas das diversas religiões?
Ayaan – Em teoria, nada diferencia um fanático cristão ou judeu de um fanático muçulmano. Na prática, eles se sentem mais à vontade no Islã.

Veja – Por quê?
Ayaan – Além de encontrar justificativa religiosa farta, a crítica dos membros de sua própria crença é quase nula. Quando o papa se posiciona contra o uso de contraceptivos, católicos do mundo inteiro contestam sem sofrer represálias. A cantora Madonna desperta antipatia em puritanos com a canção Like a Prayer, mas sua cabeça não está a prêmio. Ninguém degolou os humoristas do Monty Python por ter realizado o filme A Vida de Brian, uma sátira sobre Jesus Cristo exibida no mundo todo. Esse espaço de tolerância não existe no mapa do Islã, mesmo que muito almejado em silêncio. O Islã está como o pai do terrorista Mohamed Atta depois dos atentados de 11 de setembro de 2001. Traumatizado, desamparado, cego. "Meu filho não tem nada a ver com isso. Foi obra da CIA, dos judeus!" O pai não se deu conta da parte maléfica do filho. Recuso que uma religião, outrora pacífica, plena de força e energia, tenha no seu âmago o fanatismo e a violência.


Outra interessante:

Veja – Pode haver convivência pacifica entre o Islã e o Ocidente?
Ayaan – Espero que sim. No entanto, posso afirmar sem equívoco, o Islã atual é incompatível com o estado de direito das democracias ocidentais. A sobrevivência das democracias ocidentais depende da sua vitalidade em defender os valores liberais. A escolha que o século XXI oferece aos muçulmanos é clara: modernidade ou regime tribal. Eu proponho às comunidades islâmicas fazer uma reflexão crítica da sua doutrina religiosa, a exemplo dos fiéis de todas as grandes religiões. Se dizem que é preciso rezar cinco vezes ao dia, vamos demonstrar, empiricamente, que isso é impraticável no âmbito de uma vida moderna. Eu proponho às comunidades islâmicas reter a espada que corta a cabeça de quem pensa por si mesmo. Onde não se pode criticar, todos os elogios são suspeitos. Caso eu estivesse num país muçulmano, já estaria morta. É do interesse tanto do mundo ocidental quanto do mundo islâmico promover a crítica entre os muçulmanos. Enfrentar o fundamentalismo é um objetivo comum.


Pensar, pensar, pensar...

Mas a maior surpresa...

Mas a maior surpresa dessa coisa toda da Schincariol é descobrir que a Kaiser detém 8,8% do mercado.

Quem é que bebe aquela porcaria, meu Deus?!? ;-)

Tomando vergonha na cara... e outra cerveja...

Se as denúncias sobre o esquema de evasão de impostos e corrupção que pesam contra a Schincariol forem comprovadas - sim, eles são inocentes até prova em contrário - eu sugiro que o Brasileiro pare de tomar Schincariol.

Por quê?

Porque é preciso fazer entender às empresas e indivíduos no país que estamos fartos de tanta falcatrua, de tanta roubalheira, de tanto uso do dinheiro público.

- "Ah, mas se o cara não faz essas coisas, quebra por causa da carga tributária"

Sim, eu compreendo e acredito que a carga tributária seja insuportável.

Mas então o que tem de mudar é a carga tributária - também através de pressão da sociedade e do setor privado sobre o setor público.

Então, em comprovadas as denúncias, grite comigo:

- Schin não!

19 de junho de 2005

Capa da Veja...

A Veja desta semana pergunta:



Claro, eles se referem ao Governo Lula.

Acho que já respondi aqui varias vezes esta pergunta, não sobre o Governo, mas sobre o país.

Minha resposta é: não.

Eu ganhei um!



Na na na naaaahh!

Eu tenho, você não tem!

Na na na naaaahhh!

15 de junho de 2005

Corrupção e bandalha é a norma...

O Globo lembra: corrupção e bandalha são a norma no Brasil.

Se o cara paga todos os impostos não tem lucro. A carga tributária é absurda.

Pegar dinheiro para investir no seu negócio com os juros como estão é impossível.

Resultado, com uma política nacional das mais catastróficas (e que não vem de hoje), o empresariado resolve agir no setor privado de acordo com o exemplo do setor público.

Eu quero é o meu.

Tem jeito?

Pra quem usa o GMail...

Meu acesso estava LEEEEEEEEEEEENTO.

Limpei o browser cache e voltou a velocidades normais de antes.

No processo achei também o forum de discussões do GMail.

14 de junho de 2005

Ai ai...

Eu não gosto nem de conversar mais com Brasileiros morando no exterior...

Parece escroto? E é.

Mas é a triste verdade. Por favor, não se ofendam... Mas é que cansa ver as mesmas opiniões expressas de novo e de novo e de novo...

Existem dois campos: os que acham que tudo no Brasil é uma merda (morando no exterior há pouco tempo ou que vem de uma estrutura financeira mais humilde) e os que acham que tudo fora do Brasil é uma merda (normalmente os de classe média/alta ou que simplesmente não conseguem sair do gueto).

Eu acho que sou um dos poucos que acha que morar em qualquer lugar - no Brasil inclusive - tem vantangens e desvantagens. E que cada um sabe com que vantagens e que desvantagens está a fim e/ou consegue conviver.

Quem acha legal viver no Brasil tem a minha benção para voltar pra lá. Quem não consegue nem cogitar a hipótese tem o meu suporte para continuar no exterior e viver sua vida como achar melhor. Amém!

Recentemente o argumento que ouvi foi "Brasileiro é muito iludido!". Basicamente a pessoa procedia a dizer que o Brasil não deve nada a nenhum país dito desenvolvido. Que temos tudo do bom e do melhor. E que há um senso de inferioridade exagerado no povo brasileiro. E, morando em um país dito desenvolvido, passou a comparar as instituições de um e de outro.

Através de lógica falha eu posso provar que o mundo é chato e não redondo.

Mas, pouparei os meus parcos leitores do exercício.

Vou apenas dizer - segredo, cá entre nós - que o Brasil em termos de instituições privadas rivaliza com as instituições de qualquer outro país - desde que estejamos comparando instituições nas principais cidades, esquecendo todo o restante do país.

Bancos, por exemplo, são mais e melhor informatizados nas grandes cidades do Brasil que aqui nos EUA. Mas aqui existem CENTENAS de bancos diferentes. Sem falar nas cooperativas de credito, que funcionam como bancos. De vários tamanhos e portes. Na cidadezinha mais insignificante você acha bancos locais. E todos funcionam como um banco grande.

Hospitais aqui são uma tristeza. Principalmente se se pensar que é tudo privado e que hospitais privados nas grandes cidades do Brasil costumam ser bons. Mas, em cidades pequenas existem hospitais de um porte que não são sonhados para cidades do mesmo porte no Brasil. Com equipamentos que as cidades grandes do Brasil não tem. Eu não sei como funciona para quem não tem condição de ter um plano de saúde como eu tenho (via empresa), não acho que haja o conceito de saúde pública gratuita. Então fica difícil de comparar com a saúde pública no Brasil, mas para quem precisou um dia esperar 4 horas - com uma possível fratura e o rosto sangrando - para ser atendido depois de um acidente de carro num hospital público de uma das maiores cidades do Brasil, não leva muita fé que os hospitais públicos brasileiros são bons.

Educação é pública e, aqui no meu estado, de qualidade. Moro numa cidade de 4000 habitantes que tem duas escolas. Todas informatizadas, com ginásios e uma estrutura que eu não tinha na minha escola particular... Educação no Brasil tem de ser privada. E quantas escolas privadas será que existem no Piauí? E quem no Piauí tem dinheiro para mandar os filhos para elas? Atenção: Piauí foi usado como um exemplo mas não tenho a intenção de ofender o ilustre Estado. Substitua pelo Estado que você mais detesta no Brasil... Vocês já assistiram algum Globo Reporter sobre escolas públicas no nordeste? Vamos ignorar as instalações por um instante. Hmmm. Vamos ignorar a falta de instalações. E a falta de material. E, algumas vezes, a falta de cadeiras. Vocês viram o corpo docente da escola - normalmente uma pessoa que é a única que sabe ler na cidade... Isso é ensino?

Vou evitar falar das instituições públicas como Polícia, Justiça, Legislativo e Executivo. Não gosto de chutar cachorro morto. E - antes que alguém me acuse - eu sei que corrupção tem em tudo que é lugar e que outros lugares tem cidades em estado de guerra, mas cite uma grande metrópole que não o Rio ou São Paulo onde carro blindado virou necessidade. Alguém? Que tal o fato de que os mesmos políticos continuam se reelegendo, escândalo atrás de escândalo...

Que tal o fato de eu poder trabalhar com informática em todos os estados do país? São 50 estados. Todos tem empregos na minha área. Melhor ou pior remunerados, mais ou menos interessantes. Mas tem. No Brasil eu só posso trabalhar em dois lugares - Rio e SP. Tenho amigos que tentaram mudar para o nordeste, Salvador, e não acham emprego por lá. E outros que mudaram para o Sul, só para serem despachados como consultores para... o Rio. Isso quando acham emprego né?

Tudo isso só para explicar que o Brasil - o país - tem muito que melhorar antes que os Brasileiros possam estufar o peito e dizer "não devemos nada a país nenhum".

Mesmo que quem more no Rio, BH, SP, e va lá, a sua cidade (para você não dizer que eu estou deixando de lado a importante metrópole de -insira o nome aqui-); o Brasil seja um país de primeiro mundo! Ou, pelo menos, de segundo.

Não somos.

O Brasil, o país, é extremamente subdesenvolvido. Enquanto não reconhecermos isso, não poderemos corrigir os males que nos afligem.

Se um dia vamos corrigir os males? Se vamos ser um país de segundo mundo pelo menos?

Eu, sinceramente, acho que não.

Antes que alguém começe de novo a me xingar: direito meu.

Apenas e tão somente uma opinião...

Em tempo: tudo isso não quer dizer que não hajam Brasileiros que saem do Brasil despreparados para a realidade que vão encontrar. Claro que tem gente que toma a decisão de sair do Brasil iludido(a) que vai ser fácil viver no exterior e que é só um universo de coisas boas.

Para esses o meu mantra: morar no exterior não é mais fácil ou melhor que morar no Brasil. É diferente. Converse com quem já mora fora. Obtenha tantas opiniões quanto humanamente possível. Pense.

Afinal você faria isso antes de comprar um carro, certo?

13 de junho de 2005

Li em algum lugar...

Que 80% dos cariocas votaram no Lula...

O que só prova meu velho adágio: "Carioca não sabe votar!"

12 de junho de 2005

Del.icio.us

Finalmente, depois de uma certa resistência, me rendi ao Del.icio.us!

Eu vou usar para manter uma lista de bookmarks independente dos meus computadores. Estou cansado de estar no trabalho e fazer um bookmark de uma página e chegar em casa e não ter o link acessível porque ficou no computador do trabalho... E vice-versa.

Com o Del.icio.us minha lista de bookmarks fica na web. Pronto.

Claro, agora vocês também podem assinar (no Bloglines por exemplo) o feed do meu del.icio.us e ficar sabendo o que eu estou vendo de interessante na internet.

Interessante pra mim, né? ;-)

9 de junho de 2005

Fazer o que?

lá no meu scrapbook do infame e hiper-lento Orkut: "Carlos, moro no Brasil na cidade de Santos (SP). Não volte não meu amigo, aqui a coisa está cada vez pior. Crie a sua filha num país onde ela possa ter um futuro promissor. Aqui nós não estamos conseguindo mais enxergar a luz no final do túnel. Tenho pena dos meus 3 filhos, que trabalham tanto e não conseguem nada. Eu concordo com tudo o que você falou. Parabéns pela decisão. Se eu tivesse oportunidade de sair daqui e levar minha família eu sairia correndo. Abraços e boa sorte."

Fazer o quê?

É muito triste ter razão nesse caso.

Mas, fazer o quê?

8 de junho de 2005

Vocês sabiam...

Vocês sabiam que o Stephen King escreveu, juntamente com o Chris Carter, um episódio do X-Files??!

Estou assistindo agora, cortesia do meu Tivo.

Coisas interessantes:

a) Se passa no Maine, cenário de 95% das histórias do King
b) É talvez um dos episídos mais dark e propensos ao sobrenatural da série
c) Scully é a personagem principal e Mulder passa o episódio inteiro como um coadjuvante via telefone, e fazendo piadas infâmes.

Muito bom.

7 de junho de 2005

Um país pitoresco...

Essa história do Mensalão no Brasil é muito engraçada...

Não, não estou dizendo que corrupção é coisa para se rir! Longe de mim! É coisa para se corrigir, sem dúvida...

Mas, é engraçado ver a indignação das pessoas nas ruas. Dos colunistas na imprensa e dos reporteres na TV. Dos próprios políticos.

Porque, vamos falar sério aqui um instante, quem é que não sabe que nós somos roubados e vilipendiados pela classe política no Brasil? Quem é que não sabe que eles não estão no poder e nem gastaram uma baba para se eleger com o interesse público em mente? Quem é que não sabe que são abutres que vivem dessa relação ilegal ou semi-legal de usar o que é público em proveito próprio.

Mais importante: quem é que acha que vai mudar alguma coisa? Ou que os culpados serão exemplarmente punidos e o sistema corrigido?

Levantem as mãos! Vamos!

Ninguém?

Pois é.

Essa casta dominante - muitos deles tradicionalmente dominantes, com famílias que vivem do que deveria ser de todos mas que, no Brasil, não é de ninguém - não largará o osso nunca.

E esse caso, em breve, será esquecido como tantos outros neste e em outros governos.

Como diziam na era Collor: PIZZA!

- Ah, mas olha aí; você mesmo acabou de lembrar! Collor! Ele caiu! Foi punido...
- Ah foi? Ele foi punido? Quanto tempo ele passou em cana? Quem matou PC Farias? Quanto tempo o PC passou em cana? E onde foi parar aquele dinheiro todo? E quantos dos corruptores - tão culpados quanto os corrompidos - serviram seu tempo na prisão?
- ...

A minha eu quero com anchovas, por favor...

6 de junho de 2005

E agora?

Apple vai começar a usar chips intel...

Para mim isso é um brusco pé no freio...

Meu planejamento de migrar toda a minha plataforma computacional para o Apple Mac OS X e abandonar o Windows, tinha como próximo passo a adoção de algum computador baseado no G5 e a compra de diversos pacotes de software para rodar no novo PC.

Mas eu não quero gastar uma grana num computador e software que eu posso não ter como portar para as versões seguintes do hardware. O hardware é barato se comparado com a despesa em software...

Eu tenho certeza que o OS X vai rodar bem na plataforma Intel - a Apple diz que isso vem acontecendo há 5 anos! - mas eu não quero, por exemplo, comprar o Photoshop para PPC e daqui há um ano e meio decidir fazer um upgrade e descobrir que vou ter de comprar o Photoshop de novo para o Mac OS X sobre x86.

Parece que aquele velho P3 rodando Win2000 lá em casa ganhou uma sobrevida de pelo menos um ano e meio.

E meu amado Powerbook continuará sendo o único Apple da casa até a poeira baixar...

Agora, se todo mundo tomar a mesma decisão que eu, o que será da Apple?

3 de junho de 2005

Historinha rápida da língua portuguesa

História da língua portuguesa (infelizmente, em inglês).

Portugal regulando o gosto musical...

Para a minha surpresa, Portugal já resolveu todos os seus outros problemas e pode se dedicar a formular leis que forçarão as operadoras de rádio a difundir certas quotas mínimas de música portuguesa!

Nada contra a música portuguesa, pelo contrário, mas as rádios no meu entender tocam aquilo que sua audiência está interessada em ouvir. Se não tocarem, não tem audiência. Sem audiência, não tem anunciantes. Sem anunciantes, não tem lucro. Sem lucro, não existem.

Portanto, dizer que as rádios não apresentam uma programação representativa do gosto de sua audiência é, acho eu, ridículo!

Sem falar em como fazer valer uma lei como esta!!!

Fariam melhor os nobres deputados se trabalhassem para melhorar a riqueza média dos portugueses - a mais baixa da Zona Euro.

Em tempo: sou cidadão português, deixem-me criticar! :-)

2 de junho de 2005

Porque usar o Flickr...

As pessoas tem me perguntando porque comecei a usar o Flickr para mostrar minhas fotos e porque eu defendo que todo mundo devia estar usando o Flickr.

Eis os motivos:

  1. Tags! Cada foto, na sua coleção no Flickr, pode ter quantos tags você quiser identificando coisas como: quem está na foto, que câmera foi usada, com que lente, com que flash, o local onde a foto foi tirada, o ano... O que você quiser! Quem cria os tags é você. O tag é só um conjunto arbitrário de meta-dados sobre a foto. Um exemplo: Nesta foto, eu tenho os tags (listados à direita da foto) 2005 (o ano que tirei a foto), Digital Rebel XT (a câmera que usei), Júlia (a personagem da foto), Memorial Day (o evento), SpeedLite 420-EX (o flash que usei), Spring (primavera), Wisconsin (o Estado), Madison (a Cidade) e Canon EF-S 18-55mm (a lente). Quem criou cada uma das tags fui eu - poderia por exemplo ter criado uma "American flag" (ou "Bandeira Americana" pra quem não gosta de inglês, não importa) porque ela está segurando uma. Mas o mais importante desse conjunto de meta-dados não é o fato de você estar organizando suas fotos, mas o fato que você pode, com o click do mouse, listar todas as fotos que a Júlia aparece simplesmente clicando no tag "Júlia". E que outros usuários do Flickr podem achar suas fotos simplemente fazendo uma busca por "Wisconsin", por exemplo.

  2. Notas! Veja esta foto. Ao passar com o mouse por cima dela, um quadrado aparece e se você pousa o ponteiro sobre o quadrado, uma nota flutua sobre a imagem. Isso são as notas. Dirá você "E daí?". E daí que você pode adicionar notas nas suas fotos e nas fotos de outros usuários do Flickr, e vice-versa. Você poderia, por exemplo, olhar esta foto e adicionar uma nota qualquer com uma pergunta ou uma observação.

  3. Comentários! Como neste blog, você pode deixar comentários para cada foto individualmente no Flickr. Você tem a chance de ter e prover feedback sobre cada foto dos seus contatos e até de gente desconhecida!

  4. RSS Feeds! Você tem a oportunidade de usar um feed agregator como o Bloglines (meu preferido) para saber quando novas fotos são postadas por seus contatos ou quando novos comentários são adicionados as suas fotos! Se você ainda não usa um feed agregator - MEU DEUS!!!! - leia isto pra entender porque você já devia estar usando...

  5. Grupos! Eu, por exemplo, faço parte dos grupos Brasil, Canon DSLR, Madison WI, Portugal e Wisconsin. Cada grupo tem seu pool de fotos e você pode contribuir pra eles com fotos suas. Por exemplo, no grupo Madison WI tem algumas fotos minhas... Os grupos são ótimos lugares para encontrar pessoas com interesses fotográficos similares aos seus e discutir como melhorar suas fotos ou apenas pedir críticas. Alguns grupos, como o Brasil, promovem "concursos" onde os membros votam nas melhores fotos de um determinado tema!

  6. Sets! A habilidade criar albuns onde as fotos podem ser organizadas. Eu tenho três (o limite para quem usa a conta gratuita do Flickr): Favoritas, Locais e Família. Uma foto pode perfeitamente estar em mais de um set ao mesmo tempo. Quem paga para usar o Flickr (menos de US$25 por ano) pode criar quantos sets quiser...

  7. Slideshows! Mais fácil mostrar do que explicar! Este aí é o slideshow das minhas fotos mais recentes. É possível fazer slideshows de um set específico também.

  8. Diferentes níveis de acesso! Eu, por exemplo, tenho fotos que só são acessíveis para quem eu designei como amigo ou família, e tenho fotos que estão disponíveis para o público em geral.


Esse post só arranhou a superfície da coisa. O Flickr oferece muita coisa legal para quem quer organizar e deixar disponíveis suas fotos para o acesso de amigos e parentes!

Se você ainda não está usando: porquê?

Se você já está usando para ver minhas fotos, é só começar a fazer o upload das suas também!

Eu recomendo!

1 de junho de 2005

Perfil Social do Brasileiro



21,9 milhões de indigentes - 12,9% da população!
6,6 milhões de pessoas vivem em favelas - 3,8% da população!

Homicídios por 100 mil habitantes: campeões são Vitória e Recife. Rio de Janeiro vem em terceiro, seguido de Maceió e São Paulo. Quer ficar mais seguro? Vá morar em Rio Branco ou Brasília!

Ouviram do Ipiranga
as margens plácidas...

Desemprego aumentou 56% nos últimos 10 anos...

A VEJA on-line informa: O Ipea divulgou pesquisa revelando que o desemprego no Brasil aumentou 56,2% entre 1993 e 2003.

Na America Latina o índice foi de apenas 15,9%.

O número de trabalhadores na economia informal cresce descontroladamente.

Foi o comentário que fiz, numa carta ao O GLOBO, sobre uma coluna do João Ubaldo Ribeiro que pregava a desobediência civil através do não pagamento de impostos - grande parte da classe média já parou de pagar impostos devidametne justamente porque está na economia informal.

Você liga os pontos, eu estou cansado de gritar as mesmas coisas...

31 de maio de 2005

10Km em 1:01:12s

Meu resultado nos 10Km da Mad City Marathon foi o que eu esperava - em torno de 1h. Sem esforço e sem sofrimento.

Mas eu tive um incentivo especial - uma senhora de seus 70 anos por quem passei no início da corrida pensando "Pelo menos na frente dela eu vou chegar!". Para minha surpresa, faltando dois quilometros para o final, ela me passou... Eu acelerei e cheguei praticamente 5 minutos a frente dela.

Parabéns C.E.!!! Competindo com velhinhas de 70 anos!!! :-(

Eu preciso treinar manter o meu passo...

Dói porque é verdade...

NYT critica Lula e oligarquia por desmatamento

O último parágrafo no artigo é o mais contundente e verdadeiro:

a Amazônia parece ainda amplamente imune à lei, especialmente num país em que não há nem de perto polícia suficiente para fazer valer as regras, onde crescimento econômico parece estar acima de tudo e onde políticos locais poderosos tendem a ter mais influência que o governo nacional

Claro, os "Nacionalistas" (ser a favor do que é errado não é nacionalismo, é burrice!) vão dizer o de sempre "Quem são os americanos pra falar, uma vez que eles já destruiram todas as suas florestas..."

- Manhê, Manhê, o Jorginho caiu no buraco!
- E onde estava você que não caiu junto?

Paranoico, eu?

"A paranoid is someone who knows a little of what's going on."

Tenha medo, tenha muito medo...

Uma saída...

Canadá!

Eu já havia dito isto aqui, mas o Joelmir informa que a coisa no Canadá está favorável aos imigrantes.

É frio, mas vale a pena.

26 de maio de 2005

Mad as hell, switching to Mac

Mad as hell, switching to Mac

Não, o Mac não é viável no Brasil. Mas este artigo aponta vários problemas inerentes ao Windows que devem ser considerados...

25 de maio de 2005

Traidor ou refugiado?

Com essa novela da Globo, que minha mulher teima em assistir, eu tenho recebido vários e-mails que variam em dois temas:

a) Coitado de você e tudo que você passou aí!
b) Seu traidor, como tem coragem de abandonar o seu país!?!

O primeiro me faz rir. Porque eu vim para cá totalmente legalizado, numa condição muito melhor que muito americando nascido aqui. Visto de trabalho, salário de classe média, emprego bom, trabalho interessante, nunca fui discriminado em lugar algum... Enfim, dei sorte.

Eu sei que e vejo muito brasileiro (e outras nacionalidades também) vindo para cá para viver em condições que eu considero questionáveis - mas que eles obviamente acham aceitáveis. Diria até que melhores que no Brasil, já que vieram para cá, e ficam aqui.

Não foi meu caso, podem ficar tranquilos.

O segundo tipo de e-mail deveria me causar indignação, mas causa mesmo uma certa pena.

As pessoas no Brasil (no mundo!) hoje tem uma mentalidade anti-americanista virulenta. Não que não haja razão para ter um pé atrás com a política externa que o país sempre desenvolveu e que piorou com o Bushismo. Mas o que me espanta e o nível da "reação".

A Europa é muito pior em termos de relações comerciais com o Brasil que os EUA. Os EUA tem uma relação comercial que beneficia o Brasil que nenhum outro país tem. Nada disso conta.

Os EUA, historicamente, livraram o mundo de vários potenciais reinados sombrios. Segunda guerra mundial e o comunismo Russo são os exemplos mais gritantes. Isso também não importa.

Uma grande parte das drogas e avanços tecnológicos que beneficiam a humanidade - com um custo, claro, é o capitalismo (o único sistema que funciona) - foram inventadas ou aperfeiçoadas nos EUA. Isso é irrelevante.

E qualquer um que ouse se basear nos EUA, é obviamente um traidor biltre.

O Brasil, por outro lado, não tem problemas. É uma nação impar, que não erra. Estamos acima do bem e do mal.

Todos os países do planeta terra (e eu me aventuro a dizer de qualquer planeta onde humanos habitem) tem problemas. Cada indíviduo tem de avaliar que problemas está disposto a conviver ou qual problemas é capaz de sobreviver.

Eu decidi que prefiro viver num país onde eu discordo majoritariamente da política externa e de mais alguns resquícios de ignorância; do que num onde eu discordo de quase tudo e onde a ignorância é predominante. Prefiro conviver com a ignorância e o super-conservadorismo de alguns vizinhos, do que não ter certeza de se vou conseguir voltar pra casa vivo - apesar dos impostos pagos em dia (e caros). Prefiro falar outra língua e viver todos os dias com saudades do mar, do que falar a minha, ter o mar, e ver minha sociedade sendo lentamente dizimada pelo caos, sem nenhum tipo de reação.

Você não é obrigado a concordar comigo. Você também não tem de ler o que eu escrevo e pensar "filho da puta, incentivando os brasileiros a sair do Brasil". Você não tem de começar a planejar seu êxodo para o mês que vem. E, finalmente, você não tem de me mandar e-mails dizendo que eu sou um traidor covarde e que eu tinha de estar aí batalhando pra mudar as coisas.

Claro, você tem o direito de fazer tudo isso se quiser.

Mas, entenda, eu não "tenho" de estar num lugar onde eu sofro em nome de uma possível mudança. A mudança, que eu não acredito ser possível, não depende de uma pessoa.

Mas se você acredita nisso, torço por você! Promova as mudanças!

E me mande um e-mail dizendo que conseguiu.

Boa sorte.

18 de maio de 2005

Sensacional...

Deu na Coluna do Ancelmo no Globo: "Com esta onda de assaltos a prédios, a Defesa Civil do Rio vai dar um curso de segurança para os porteiros."

Então, o negócio é o seguinte: assalto, roubo, segurança básica da sua família e dos seus bens? Melhor você contratar um bom porteiro!

Viva-se num lugar desses...

Boa sorte aos que ficaram!

17 de maio de 2005

Tutty Vasques tem toda razão...

A Parada do Orgulho Gay quer levar 2 milhões de pessoas à Avenida Paulista no domingo. Como diz Arnaldo Jabor - eu discordo -, “é impressionante como, a cada ano que passa, tem mais viado em São Paulo”.

Ah... Fazer o quê? ;-)

12 de maio de 2005

Finalmente...

Finalmente hoje chegou a minha permissão de residência permanente, o Green Card. Na verdade chegaram as permissões para mim e para a minha filha.

Por algum motivo que me escapa - talvez uma homenagem ao dia das mães? - o da minha esposa chegou dois dias antes.

Mais direitos e mais obrigações.

Mas pelo menos posso ficar aqui quanto tempo me der na veneta.

Ótimo.

11 de maio de 2005

Em homenagem ao novo filme...

Parks Sabers - The Most Powerful Sabers In The Known Universe

Compre já o seu! ;-)

Agnóstico

De acordo com o teste abaixo, eu sou agnóstico...

You scored as agnosticism. You are an agnostic. Though it is generally taken that agnostics neither believe nor disbelieve in God, it is possible to be a theist or atheist in addition to an agnostic. Agnostics don't believe it is possible to prove the existence of God (nor lack thereof).

Agnosticism is a philosophy that God's existence cannot be proven. Some say it is possible to be agnostic and follow a religion; however, one cannot be a devout believer if he or she does not truly believe.


Which religion is the right one for you? (new version)
created with QuizFarm.com

Na verdade deu 88% agnóstico e 75% satanista.

Hmmm...

Satanista?!?

30 de abril de 2005

Oficial...

É oficial!

Corri hoje as 5 milhas - que são 8Km e não 9.6Km como eu havia dito antes, perdão pela matemática porca - na Crazy Legs.

Foi tranquilo. E eu podia ter cortado um ou dois minutos do meu tempo se tivesse começado um pouco mais a frente dos outros (ainda não confirmados) 14000 participantes. Muito, mas muito, cheio! Levou uns 8 minutos para eu chegar até a linha de partida!!! A primeira milha e meia é muito complicada porque as pessoas começam a andar, tropeçam umas nas outras, e tem pouco espaço para se mexer.

Mas, para a primeira vez, tá bom.

50 minutos e 31 segundos. O que quer dizer, mais ou menos, uma velocidade de 6 milhas/hora. Ou, se eu não errei no cálculo de novo, 9.6Km/hora.

E eu acho que tinha gás pra pelo menos mais uns 2Km!!!

Minha posição foi 5752. Se se confirmar o número de participantes, isso quer dizer que eu estou um pouco acima da média para o evento.

Ah, pra pegar a cerveja de graça no final, fazem um pobre que já correu 8Km subir todas as arquibancadas do Camp Randall, onde termina a corrida. Cruel.

Ano que vem tem mais...

Agora quero uma corrida de 10Km nos próximos 3 meses!

23 de abril de 2005

A indústria do entretenimento entendeu o que é a Internet...

Assistia eu a um episódio de NBC.com >Law & Order: Criminal Intent, quando um dos quadros intermediários que identificam o local onde os policiais estão apresentou o endereço de um "website" onde uma das vítimas trabalhava.

Curioso, digitei "www.webofjoy.net" no meu browser.

E sou redirecionado para...

:-)

Preparados!

Daily show with Jon Stewart

O que me impressiona no "Daily Show with Jon Stewart" é que além de absolutamente hilário, a seção de entrevistas costuma ser excelente!

Primeiro: a Entrevista é rápida e vai direto ao ponto.

Segundo: Jon Stewart é um cara muito inteligente. Astuto. E bom de conversa. Ele é tudo que qualquer brasileiro gostaria que o Jô Soares fosse, mas não é.

Reza Aslan foi o entrevistado que acabei de assistir. Ele é Iraniano mas atualmente mora nos EUA, e é um especialista em Estudos Teológicos.

Reza acaba de lançar o seu novo livro "No god but God" e era esse o mote da entrevista. Mas que entrevista! Basicamente Reza defende que o Islamismo é uma religião recente e que o mundo muçulmano está num caminho inoxerável de reforma.

O Iran, que ele usa como exemplo, sabe que as mudanças estão próximas. Mais, os cléricos que controlam o país com mão de ferro, SABEM que as mudanças estão próximas e que são inevitáveis.

Reza acredita - para minha surpresa - que o terrorismo forçosamente vai diminuir cada vez mais, porque os radicais serão precionados pelo movimento progressista que afeta e continuará afetando as regiões muçulmanas.

Mais um livro para incluir na minha lista... :-)

21 de abril de 2005

Sabe do que eu sinto falta mesmo? De verdade?

Botequim.

De parar numa esquina, naqueles botequins tradicionais, e pedir uma média com pão e manteiga, ou um guaraná - que saudades de guaraná antarctica...

Ou marcar com a galera, depois do trabalho, um chopp num bar qualquer do Leblon ou Ipanema.

Não se pode ter tudo. Vá lá.

Pior que Brasil só ano que vem...

19 de abril de 2005

E o Brasil descobriu o nepotismo...

Todos os jornais e todos os articulistas do Brasil só falam no abuso de poder que é o nepotismo.

Viva o Severino Cavalcanti!!!

O cara pode ser um pústula, mas pelo jeito serviu pelo menos para atiçar uma reação popular. Que está tendo eco na imprensa.

Resta saber se a população também vai querer dissolver os outros tipos de abuso de poder menos visíveis no Brasil...

Aquele amigo que arruma para tirar passaporte sem entrar na fila, aquele camarada que guarda lugar na fila do cinema para 17 amigos, aquele tipo que arruma pro cara escapar do serviço militar obrigatório (que é outro problema que merece um post a parte)... Todos esses "tratamentos VIP" são, no fundo, abuso de poder da parte de quem os pratica.

No mínimo conivência conveniente para quem recebe os favores. No máximo um incentivo a que estas atitudes continuem acontecendo.

O nepotismo é só uma forma aguda de um problema cultural muito maior. E que nos aflige, enquanto espécie, há séculos!

Só vai ter jeito no dia que um diálogo como o que se segue for normal:

- Ah, rapaz, eu tenho um amigo que resolve isso pra você rápido!
- Mas eu não quero tratamento especial, quero que o sistema funcione.

Hein?

E, na contramão das decisões do irmão do Sul...

Canadá facilita trabalho e imigração a estudantes...

Portanto se você tem pensado em sair do Brasil, eis aí uma alternativa viável aos EUA e à, cada vez mais restritiva, Austrália.

É frio, mas quem mora lá não parece reclamar...

17 de abril de 2005

5 milhas (9.6Km) em 50 minutos, 3 milhas (5Km) em 19m30segundos!

Estou me preparando para correr o "Crazy Legs", uma corrida amistosa de 5 milhas aqui no centro da cidade.

E estou satisfeito com o meu desempenho nos treinos, portanto permitam-me a falta de modéstia por um instante...

Os tempos acima são em trajetos de rua, com direito a ladeiras de intensidade baixa e média.

Para quem tinha parado de correr por 7 anos, não tem intenção nenhuma de ser atleta, e está prestes a dobrar 35 anos; tá bom né?

Claro que ainda vou tentar melhorar um pouco antes da corrida. Os primeiros colocados da "Crazy Legs" costumam terminar as 5 milhas em 25 minutos. Longe de mim chegar a tanto. Minha meta e algo em torno de 40, 45 minutos.

Vamos ver... :-)

14 de abril de 2005

Frase do dia...

"You can go a long way with a smile. You can go a lot farther with a smile and a gun."
- Al Capone

12 de abril de 2005

Da série "Você sabia?"

Você sabia que em 1961, no dia de hoje, os Russos colocavam em órbita Yuri Gagarin?

Gagarin foi o primeiro ser humano no espaço, e sua nave se chamava Vostok 1.

Este momento cultural Considerações Rasteiras é patrocinado pelo conhecimento obtido no Adler Planetarium em Chicago!

10 de abril de 2005

Lickr para quem usa Flickr

Lickr: Flickr, sem Flash

É útil para mim que uso o firefox no Mac e tenho problemas ocasionalmente.

Para a maioria dos usuários, a interface Flash não é um problema.

7 de abril de 2005

E não é assim no mundo inteiro?

Do Jornal O Globo, coluna "Gente Boa" vem a seguinte perola:

Washington Olivetto vai dizer segunda-feira, numa palestra na D&AD’s, em Londres, que a publicidade brasileira não ganha mais prêmios porque boa parte dela é feita de referências intraduzíveis. O título da palestra foi feito de propósito por Washington para ter que explicar: “Publicidade realmente brasileira. Não é pra inglês ver. Nem entender.”

Mas não é assim no mundo inteiro? Todas as culturas tem referências que não são compreensíveis em outras línguas... Algumas, traduzidas, podem até ser ofensivas!

Exemplo: a famosa "Se o estupro é inevitável, relaxa e aproveita", funciona maravilhosamente até mesmo em ambientes de negócio no Brasil; mas nos EUA a frase soa terrivelmente ofensiva.

O que me espanta é um sujeito ir para um seminário para "defender" que é esse o motivo da publicidade do Brasil não ganhar mais prêmios.

Provavelmente é esse o motivo que a publicidade da Grécia não ganhar mais prêmios...

Eu hein!

Assalto a apartamento é notícia de primeira página...

Tá na capa do O Globo On Line: "Apartamento de Luana Piovani em Paris é assaltado!".

Ohhhhhhhhhhhhhhhhh...

Um amigo me mandou a notícia por e-mail e apontava o comentário dela: "Isso é para vocês saberem que não é só no Brasil não, a pouca vergonha está em todo lugar. Imagina que eu vim do Brasil para ser assaltada em Paris."

Eu comentei de volta que deviam perguntar a ela quantas chacinas aconteceram em Paris recentemente com esquadrões de morte formados por policiais. Ou se a cidade também para quando rolam tiroteios entre facções rivais de bandidos. Ou se ela conhece alguma vítima de sequestro relâmpago por lá...

São tantos argumentos para desmontar mais esta tentativa de escapismo da realidade brasileira, que eu fico sem saber por onde começar...

Pra início de conversa, ela foi ROUBADA, não ASSALTADA. Ninguém botou uma arma na cara dela, ou amarrou ela num banheiro, ou ameaçou a família dela. Ou coisa pior.

Crime existe aonde existe gente, achar que este ou aquele país vai estar livre de criminalidade é risível...

Agora, quero ver qual o nível da presença do poder público. O roubo pode até não ser resolvido - e se for, podem acreditar que não vai dar primeira página em lugar nenhum - mas se assassinatos diários acontecessem será que as coisas iam ser solenemente ignoradas pelo poder público até que não houvesse mais reparo?

Comparar laranja com banana não, né? Fala sério...