17 de julho de 2007

Irresponsabilidade habitual, preço alto demais...

ATUALIZAÇÃO: Pra quem tá pensando, como vários ao que parece, em mandar um e-mail criticando minhas "palavras duras e ignorantes contra a sociedade" brasileira abaixo, favor ler meu último post.

Não vou me demorar num post sobre o terrível acidente aéreo em SP.

Outros escreveram melhor do que eu sobre o assunto...

Só quero dizer que tudo é um sintoma de uma falha de caráter nacional: irresponsabilidade. Essa filha degenerada da impunidade...

E vou fazer uma previsão: CPIs, dedos apontados pra todos os lados, gente dizendo "eu avisei", e consternação nacional por 2 ou 3 dias. Depois volta tudo ao normal e não se aprende nada de uma tragédia dessas. E tudo continuará como dantes.

Quer apostar?

Em Tempo: Que Congonhas opera acima da capacidade só não percebe quem nunca teve de passar por lá recentemente.

Em Tempo 2: O Cris não menciona no post dele que as companhias aéreas, ao que me consta, NUNCA se manifestaram com relação as faltas de condições de segurança. Eu sei que ele fala de desafogar os aeroportos, mas qualquer empresa tem de ter um mínimo de visão. Que vai acontecer com o setor agora que se comprovou que os principais aeroportos do país realmente não tem condições de operar? Talvez se as empresas tivessem se manifestado e apontado as falhas, trocando o lucro imediato pela segurança futura de seus passageiros, DO SETOR E DE SUAS OPERAÇÕES; as coisas tivessem sido diferentes.

Em Tempo 3: Pena que o sistema de justiça do Brasil vai demorar anos para resolver as pendengas desse incidente. O certo seria as famílias receberem uma indenização monstro do governo e da TAM. O dinheiro não resolveria NADA pra quem perdeu um irmão, irmã, pai, filho, etc; mas a pancada no bolso talvez ajudasse a prevenir futuros incidentes similares frutos da irresponsabilidade generalizada.

2 comentários:

Cattapan disse...

PS: As empresas já se manifestaram em várias oportunidades contra a má administração que a infrazero faz dos aeroportos. Gasta-se muito bom terminais, que serão realmente muito importante para abrigar os passageiros que não conseguirão voar devido à falta de infra-estrutura aeroportuária precária.

Os danos (financeiro e de imagem) que um acidente desses causa a uma empresa é extremamente sério, e a TAM já é escolada no assunto. Durante vários anos a TAM foi 'aquela que cai'. Inclusive teve que deixar de operar com os F100 em vários aeroportos. E o F100 era uma máquina de fazer dinheiro, mas sua imagem já estava comprometida.

C.E. Lopes disse...

Se manifestaram de que forma?

Pararam de operar?

Deixaram de tentar decolar?

A TAM, que eu saiba, teve período de pedir preferência em aterragens em aeroportos do nordeste porque chegava lá praticamente sem combustível.

O negócio, infelizmente, é preferencialmente a grana...

Taí o resultado.